top of page

Concertos na Cidade 2016

SESC Partituras

22 de Novembro

Beth Ernest Dias &

Francisca Aquino

Beth Ernest Dias e Francisca Aquino trabalham em duo desde 1990, com repertório bastante abrangente, que vai do erudito ao popular.  Gravaram o CD A Inúbia do Cabocolinho, com obras de compositores brasileiros e portugueses do século XX, que foi selecionado para integrar o projeto Rumos Musicais - Tendências e Vertentes do Instituto Cultural Itaú. O duo apresentou-se em diversas cidades brasileiras e realizou turnê nos EUA (Kansas, Michigan e New York) sob o patrocínio da Comissão Fulbright em 2000. Em 2004, Beth e Francisca participaram do Festival Internacional de Flautistas, realizado pela Associação Brasileira de Flautistas, em Salvador, Bahia. Em julho de 2011, gravaram DVD para a série SESC Instrumental, no Teatro SESC Consolação em São Paulo. Em Brasília, Beth Ernest Dias e Francisca Aquino participaram do projeto Trilogia de Gênios e realizaram recitais nas principais salas de concerto da cidade. Além disso, apresentam-se regularmente ao lado de consagrados chorões em espaços tais como o Clube do Choro de Brasília, Café Cultural da Caixa, etc.

No programa desta apresentação pelo projeto Concertos SESC Partituras, o duo selecionou um repertório diverso, com peças de Henrique Alves de Mesquita, Ernesto Nazareth, Júlio Reis, Alexandre Schubert e Murillo Santos. Imperdível!

BETH ERNEST DIAS

A flautista carioca Beth Ernest Dias, veio morar em Brasília em 1979. Em 1978, sob os auspícios da Funarte, realizou com o Trio de Flautas, tournée por dez capitais do país. Radicada na capital, integrou os quadros da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro desde a sua fundação e foi professora da Escola de Música de Brasília. Graduou-se em flauta pela Universidade de Brasília e realizou estudos de pós-graduação na Faculdade Carlos Gomes em São Paulo. Em 1994, como Fulbright Scholar, apresentou recitais e ministrou masterclasses de música brasileira na Berklee School of Music, em Boston. Foi consultora do Programa APARTES da CAPES  de 1998 a 2000. Foi consultora “ad hoc “ da Comissão Fulbright em 2008 e 2009. Em 2010, foi Coordenadora de música erudita do projeto “A Música na linha do tempo”, vencedor do Prêmio de ocupação da Sala Funarte Cássia Eller em Brasília pelo Edital Funarte. Beth Ernest Dias tem sua história ligada ao choro desde a década de 1970, quando no Rio de Janeiro integrava o regional A Fina Flor Do Samba, conjunto criado para acompanhar a hoje consagrada sambista Beth Carvalho. A flautista tem com o choro uma relação de gratidão, pois foi graças às composições de Pixinguinha e Benedito Lacerda que ela encontrou motivação para praticar o instrumento. Além de estudar com sua mãe, Odette Ernest Dias, Beth teve aulas de flauta com Ary Ferreira, flautista da Orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.O conjunto A Fina Flor do Samba, além de acompanhar Beth Carvalho em shows por todo o país, também acompanhou Paulo Moura e participou do primeiro elenco do Projeto Pixinguinha, em 1977, ao lado de Macalé e Moreira da Silva. O grupo se dedicou a formar um repertório de choros, e em 1975, participou dos eventos mais significativos  ligados ao renascimento do gênero, no início da década no Rio de Janeiro: o espetáculo de criação da SOMBRAS,  o concerto de inauguração do Clube do Choro do Rio de Janeiro, no Teatro Casa Grande, ao lado de Artur Moreira Lima e o Época de Ouro e a Semana Jacob do Bandolim no Museu da Imagem e do Som. 

Em 1977, ao lado de grandes nomes do choro tais como Waldir Azevedo, Abel Ferreira, Copinha e Zé da Velha, participou  do concerto Choro na Praça, no Teatro João Caetano no Rio de Janeiro, e do concerto O Fino da Música, realizado no Anhembi em São Paulo, junto com os conjuntos Atlântico e Regional do Canhoto. Esses dois espetáculos resultaram em gravações de LPs ao vivo.Com apoio do FAC – Fundo de Apoio à Cultura do GDF e produção da X2 Produções Culturais, Beth Ernest Dias criou, coordenou e dirigiu o projeto Sábado à tarde – Avena de Castro e a vida musical em Brasília nos anos 60, que resultou em quatro produtos: dois livros e dois CDs. Ao idealizá-lo, Beth tinha como objetivo resgatar uma parte da história do choro na cidade e preservar e manter viva a obra do citarista e compositor Heitor Avena de Castro, o primeiro presidente do Clube do Choro de Brasília. O lançamento aconteceu no dia 16 de julho de 2016 com um grande show no Clube do Choro de Brasília.

FRANCISCA AQUINO

Francisca Aquino é pianista e arranjadora, com intensa atuação como camerista, tanto no Brasil como no exterior. Foi professora da Escola de Música de Brasília de 1993 a 2011. Apresentou-se com o contrabaixista Ricardo Vasconcellos (Convenções da “International Society of Bassists” em Iowa 1999 e Michigan 2005; na Suíça em 2007, nas cidades de Sion e Zurich);  com a cantora Luiza Sawaya (desde 2007 apresenta-se com frequência em Lisboa, em recitais nos Palácios de Fronteira, Foz e Queluz); com a pianista Sara Cohen em duo de piano a 4 mãos em 2015 na UniRio e na Casa Thomas Jefferson, em Brasilia; com o violoncelista Marcelo Salles na Sala Mário Tavares do Theatro Muni-cipal do Rio de Janeiro e no Centro Cultural da Justiça Federal em março deste ano; e em junho, apresentou-se com o violonista Jaime Ernest Dias na Casa Thomas Jefferson, em Brasilia. Além disso, fez tournée por vários países da Europa, América Central e do Sul com o grupo “Solo Brasil”, em um espetáculo dedicado à história e evolução da Música Popular Brasileira, sob os auspícios do Ministério da Cultura e Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Em junho de 2005 participou, como convidada, da “World Piano Pedagogy Conference” em Anaheim, Califórnia, tendo também ministrado palestras na Universidade de Kansas-Missouri (1999) e na Hotchkiss School of Music (2006).

Em 2001, foi contemplada com Menção Honrosa no Concurso Internacional de Composição da International Society of Bassists, pela obra “Sweet Suite”.Gravou com o violoncelista Guerra Vicente o cd “Villa-Lobos e o Violoncelo”; “Xodó – Canções Brasileiras para não esquecer” e “Faceira”, com a cantora Luiza Sawaya; e &die;José Guerra Vicente - Obra completa para violoncelo e piano&die; com o violoncelista Marcelo Salles. Com Ricardo Vasconcellos mantém o duo e editora AssuntoGrave (www.assuntograve.com <http://www.assuntograve.com> ) e desenvolve intensa atividade na área de arranjo.Em março de 2008 participou do “8th Women Composers Festival of Hartford”, CT, a convite da Universidade de Hartford.Atuou como colaboradora de Vicente Salles na restauração e revisão de obras de José Cândido da Gama Malcher, dentro do projeto “Coleção Memória da Música no Pará”.

 

PROGRAMA

 

Henrique Alves de Mesquita

Batuque

Dolce Ricordo

Confissão e Desengano

Os beijos de Frade

 

Júlio Reis

Alvorada das rosas

 

Ernesto Nazareth

Bambino

Sarambeque

 

Alexandre Schubert

Orquídea

 

Murillo Santos

Três pequenas peças

bottom of page